terça-feira, 10 de março de 2015

Homossexualidade no anciato da Congregação Cristã no Brasil


Muitos irmãos mais antigos, e também os novos, devem ter ouvido o boato sobre o ex ancião presidente da CCB, saudoso irmão José Nicolau. Este ancião foi envolvido em uma polêmica, sendo acusado de homossexualidade em plena a terceira idade o e exercício de sua presidência na CCB. Muitos dizem que ele foi afastado por políticagem dentro da igreja, e que a questão "gay" foi apenas uma desculpa para conseguirem tirá-lo definitivamente da direção. Outros afirmam que ele teve envolvimento com mais de um irmão (vários) em seus muitos anos de ancianato. Isto tudo ocorreu por volta do ano 2000.

Recentemente um novo boato surgiu envolvendo um ancião muito influente da região metropolitana de São Paulo, cujo nome prefiro não revelar. Este irmão foi acusado de ter contraído o virus HIV através de um amante de longa data, sendo forçado a renunciar seu ministério. 

Casos como estes não são raros dentro do ministério da Congregação Cristã. Outros boatos envolvendo anciães e cooperadores homossexuais já chegaram ao meu conhecimento. Em todos os casos a igreja abafou completamente o caso.


 Lembro-me de certo ancião nos meus tempos de Reunião da Mocidade, evidentemente gay, contando sua história de como ele foi forçado pelo ministério de sua época a se casar a todo custo com uma moça, pois ele havia sido levantado para cooperador de jovens ainda solteiro.

Infelizmente há uma multidão de jovens gays dentro da Congregação, orando e implorando por uma suposta libertação para sua condição homossexual. Será que vale a pena? Vale a pena mascarar nossos desejos em pró de uma crença que nos obriga a viver uma vida dupla, como estes anciães e cooperadores? Até que ponto devemos nos reprimir em nome de uma religião?